terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Coluna do meio

Outro dia li um texto da Catarina, com o qual me identifiquei muito. Falava sobre alguns posicionamentos acerca do ser mãe - o maternismo e seu extremo oposto - e o fato de se encaixar na coluna do meio. As, segundo ela, "mais ou menos mãe", que é o nosso caso. 

Na minha lista de blogs favoritos ali ao lado, existe um blog sobre maternidade que eu gostava muito. Ultimamente a leitura já não me é tão prazerosa, por achar que a autora vem mudando ao longo do tempo seu posicionamentos e algumas coisas me parecem meio xiitas. Ela não coloca nada como verdade absoluta, apenas como a sua verdade, mas é que Narciso acha feio o que não é espelho, e eu fui me desencantando... (que fique claro que o Narciso aqui sou eu!).

Por outro lado, não o retirei dos favoritos e sigo lendo-o. Por que?

Porque embora não seja eu uma pessoa radical na maioria dos aspectos da minha vida, especialmente no que diz respeito à maternidade, essas posturas mais radicais sobre como criar filhos me convidam à reflexão e é justamente por conta disso que consigo ser coluna do meio, ou mais ou menos mãe.

Por mais que eu não queira criar filhos com total liberdade, desvinculados da escola, de pressões adultas e só comendo comida natureba, eu também não quero criar filhos (por enquanto, só filha) fúteis, competitivos, consumistas e obesos.

Pois é, sigo aqui na corda bamba, tentando ser coluna do meio. Só espero que não dê zebra!

9 comentários:

  1. Super! De vez em quando a gente é mais mãe, outros dias a gente é menos mãe, mas a maioria das vezes a gente é "mais ou menos mãe", testando, errando, acertando. Coluna do meio mesmo. O importante é relaxar quanto às pressões, pitacos, superar os erros e apostar nos acertos. E a gente vai levando...

    ResponderExcluir
  2. Muito bom! Em setembro, em meio ao tititi sobre uma matéria da papinha nestlé numa revista especializada, eu achei esse texto aqui, que cada vez eu considero mais fantástico: http://pequenoguiapratico.blogspot.com.br/2012/09/me-baixou-teorica-louca-da-maternidade.html

    Nem tanto à terra, nem tanto ao mar. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Letícia,
      Obrigada pela visita, pela opinião e pelo link! Gostei do texto!
      beijos

      Excluir
    2. Letícia,

      O comentário da Mari no MMqD tá ainda mias perfeito!

      bjos

      Excluir
  3. Falou e disse! Seguimos firmes na coluna do meio...

    ResponderExcluir
  4. Oi, Paloma! Que bom encontrar uma blogueira de Salvador! Respondi seu comentário lá no post, e li alguns dos seus posts. Só não sei se comentei, pq estava do celular. rs
    Só queria comentar que, diz minha mãe, eu mor-ria de medo dessa zebrinha quando aparecia no fantástico. rsrsrs E ela é tão fofa tadinha, tão inofensiva. rsrs
    Um beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já eu era louca pela zebrinha! kkkk
      vi sua resposta lá!
      beijocas

      Excluir