terça-feira, 13 de julho de 2010

Quadrilha

Quando era mais nova, Queila tinha uma amiga que tinha vários primos então interessantes, dos quais ela ficou com dois, ficou na vontade com um e outro ficou na vontade com ela, este último, o João. Queila até ficou tentada a ceder aos encantos de João, mas a verdade é que ela achava que ele não tinha lá muitos encantos... Mas até que ele tinha uns amigos encantados! A danada da Queila ficou com um deles uns anos mais tarde e gamou, mas aí foi ele que não gamou nela... Mais uns aninhos depois, a Queila gamou muito no Lázaro que hoje não é amigo, mas cunhado do João, veja só! E hoje Queila encontra sempre a esposa do João, irmã do Lázaro, que não sabe da missa o terço! E outro dia Queila foi novamente apresentada a João, que hoje é rapaz importante e, rindo por dentro, soltou um te conheço de algum lugar sob um olhar meio surpreso. Será que ele lembrou?


Quadrilha
(Carlos Drummond de Andrade)
João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém
João foi para os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história

4 comentários:

  1. Adoro a "confusão" desse poema! Hahaha...
    Só não conhecia ainda a história da "Queila"! Rss...
    Bjss

    ResponderExcluir