sexta-feira, 18 de agosto de 2006

Pior do que o não não é só o talvez

Sabe aquela historinha: "Vai lá, menina! Pede, tenta! O máximo que pode acontecer é você receber um não."?


E eu pergunto: quem é que gosta de receber um não? Eu o-dei-o . Tudo bem que às vezes não tem jeito, mas podendo evitar...

Hoje pensei sobre isso... Receber um não não é o pior que pode acontecer. Você vai lá, engole seu orgulho, se abre, se expõe e recebe algo pior do que um não: recebe uma enrolação, recebe desculpas esfarrapadas que mascaram o não. Tudo isso é infinitamente pior que o não. É você ver que realmente não devia ter ido, afinal alguém ali está subestimando a sua inteligência. O não mascarado é triste. É fruto da covardia e ao mesmo tempo da soberba. É uma mistura de ter pena com achar que pode enganar. É dizer não sem querer se queimar.

Por isso que eu não vou lá pedir. Cansei de ser ingênua e só perceber tudo isso depois. Sou mais eu. Sou mais minha inteligência, sou mais minha dignidade.

2 comentários:

  1. Ôpa, não sei exatamente como parei neste blog aqui. Não te conheço, mas achei bacana seu post e resolvi registrar meu apreço. Você tem toda razão, ouvir um "não", tal como ouvir uma crítica contrária ao que você pensa, se constitui antes de tudo num maravilhoso ato de respeito. É uma pena perceber que o umo das coisas vai na direção da eliminação de qualquer tipo de conflito, até mesmo quando ele é capital para o nosso próprio crescimento.
    Adorei seu post, gostei mesmo.
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Certíssima... O não mascarado é medíocre... Mas eu vou lá sim... E se recebo um não mascarado abro o verbo na boa: tá me chamando de burra, criatura?...

    Cheguei numa fase de minha vida que já não engulo nada... tsc tsc...

    :)

    ResponderExcluir